"A SIMPLIFICAÇÃO NOS NEGÓCIOS"

O aumento da complexidade dos negócios das empresas , decorrente, em grande parte, da competitividade cada vez mais intensa, é um desafio constante para os empresários e administradores. As empresas se desenvolvem sob pressão de uma crescente complicação das suas atividades e da sofisticação dos seus produtos que são influenciados pelos avanços tecnológicos. Por outro lado, sabe-se que a simplicidade é o único caminho para combater a complexidade e, por este motivo, surge o interesse de simplificar as operações das empresas, tornando as atividades mais fáceis, rápidas, baratas e sem, no entanto, diminuir a qualidade dos produtos vendidos ou dos serviços prestados.

A simplificação tem as suas exigências e os seus pré-requisitos dependem de 3 (três) fatores básicos; (1) a observação para diferenciar as tarefas essenciais das tarefas acessórias ou desnecessárias; (2) o bom senso, resultante do equilíbrio de fatores psicológicos, caracterizado pelo predomínio da razão sobre o sentimento e pelo predomínio da experiência sobre o raciocínio; (3) a criatividade que é essencial para a construção de alternativas eficazes e viáveis de simplificação. Para que a simplificação seja adotada dentro de uma empresa é importante que se forme nela uma mentalidade simplificadora, independentemente da posição hierárquica de cada um dos seus colaboradores, por meio da observância das seguintes características; (a) seleção e análise dos fatos relevantes para identificação de problemas e proposição de soluções simplificadoras; (b) mentalidade positiva para não sofrer influência negativa, tais como; "isso não pode ser feito" ou "foi assim que sempre fizemos"; (c) mente criativa para a concepção de procedimentos alternativos; (d) senso comum para controlar os excessos de criatividade e para valorizar os conselhos da experiência.

Hoje fazemos uma tarefa de uma determinada forma, mas existe a possibilidade de identificar uma maneira ainda melhor de executar e, por esta razão, sempre haverá a necessidade da busca pela simplificação nas operações das empresas. Essa é a base fundamental da simplificação. A simplificação das atividades empresarias (produtivas ou burocráticas), mediante o uso sistemático do bom senso com o intuito de agilizar, facilitar e baratear as operações das empresas, requer cuidado, conhecimento e aptidão daqueles que estão envolvidos no processo da ação simplificadora.

Cláudio José Sá Leitão - Sócio da Sá Leitão Auditores e Consultores.

PUBLICADO NO DIÁRIO DE PERNAMBUCO EM 11.06.2013.