TRANSPARÊNCIA NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

Um dos principais objetivos de uma auditoria independente é emitir uma opinião sobre as demonstrações contábeis de uma determinada empresa, com base nas normas brasileiras de auditoria, avaliando se estas estão de acordo com as práticas estabelecidas pela legislação. Para atingir esse objetivo, o auditor independente executa diversos procedimentos e análises para obtenção de evidências a respeito dos valores e divulgações apresentadas nas demonstrações contábeis. Um dos procedimentos utilizados pelo auditor independente é o de proceder a uma análise dos principais sistemas de controle interno da empresa auditada, visando avaliar os níveis de confiabilidade destes, em relação às informações geradas para a contabilidade. Dependendo dos aspectos de aprimoramento de controle, detectados durante os seus exames, visando à sua relevância, o auditor independente emite e fornece à direção da empresa auditada, um relatório de sugestões, contendo recomendações para a regularização e/ou aprimoramento das deficiências dos controles internos identificadas nos seus trabalhos.

Isso significa dizer que, ao contratar um trabalho de auditoria independente, com a finalidade de emitir uma opinião sobre as suas demonstrações contábeis, uma empresa está, indiretamente, realizando uma análise sobre os seus principais ciclos operacionais. No Brasil, as empresas de pequeno e médio porte, quando não obrigadas, ainda tem uma resistência muito grande quanto à contratação de uma empresa de auditoria independente para auditar as suas demonstrações contábeis, principalmente, em função do valor do investimento na contratação dos serviços. Contudo, é comum observar que os gestores destas empresas desconhecem as falhas de controle interno existentes nos seus principais ciclos operacionais e não consideram os benefícios proporcionados pela realização de uma boa auditoria independente. Essa auditoria, além de permitir uma maior transparência nos seus relatórios de prestações de contas e/ou demonstrações contábeis, proporcionará a obtenção de uma opinião independente sobre os seus principais sistemas de controle interno e uma consequente melhora na qualidade das informações recebidas pela direção da empresa.

Quanto mais monitorado for o ambiente corporativo de uma determinada empresa, menor será a propensão da ocorrência de irregularidades e/ou erros em tal ambiente. Apesar da realização periódica de auditoria independente sobre os sistemas de controle interno não se constituir como uma garantia de inexistência de desvios intencionais, a sua execução inibe e desestimula tal prática. A administração das empresas de pequeno e médio porte tem de entender que o auditor independente não tem como objetivo a identificação de fraudes e quaisquer outros tipos de irregularidades semelhantes. O resultado do seu trabalho melhora a eficiência operacional da empresa auditada proporcionando, um aperfeiçoamento na eficiência dos controles internos dos seus principais ciclos operacionais. A implantação de uma cultura de controle interno, por parte das pequenas e médias empresas brasileiras, baseada na realização periódica de auditoria independente sobre os seus sistemas de controle interno, proporcionará uma maior transparência, segurança e uma melhor qualidade da informação para a sua direção, seus sócios e terceiros.

Bruno Leonardo Barbosa - Sócio da Sá Leitão Auditores e Consultores S/S.

PUBLICADO NO JORNAL DIÁRIO DE PERNAMBUCO EM 04.01.2013